Diálogos com o maridón – parte 11

Maridón, o REI do tiro que saiu pela culatra:

– O bom dessa correria maluca que estamos vivendo agora é que as meninas vão crescer de uma vez e estaremos melhores com quarenta anos do que nós e nossos amigos hoje, com trinta.

– Ué… Como?

– Vamos fazer um extreme makeover! Mas extreme meeeeeeeeeesmo, com tudo que vc quiser: lipo, botox, turbinada, pacote completo!

– Péra!  Vc está querendo dizer que eu preciso de lipo, botox e turbinada agora?????

Ou seja, minha gente, não é que eu precise de um pequeno retoque, de uma plasticazinha básica ou de um mero tratamento estético após a terceira gravidez consecutiva. Eu preciso de um EXTREME MAKEOVER.

EX.TRE.ME. MA.KE.O.VER.

EXTREME.

Ivo Pitanguy, me aguarde, que eu vou lhe usar.  Maridón está pagando! 😉

#angelabismarchifeelings

#fuéeeeeeen

#donjuanfail

#lógicamasculina

Diálogos com o maridón – parte 10

Maridón saiu do banho todo emotivo, me abraçou e falou:

– Sabe, Bo, fiquei pensando no que as pessoas fazem nos seus vinte e poucos anos… Fulano se dedicou à música, estudou, quis ser artista. Beltrano queria pegar a mulherada, ir para baladas, aproveitar a vida. Sicrano queria ser sarado, passava o tempo todo na academia, cuidando do corpo. E eu? Eu me dediquei a vc. E agora estou aqui, cansado e feliz.

Aí eu pergunto:

a) foi uma declaração de amor fofa e eu que sou insensível;

b) foi uma declaração de amor, mas ficou beeeeeeemmmm melhor na cabeça dele do que verbalizada; ou

c) ele basicamente disse na minha cara que, se não fosse for mim, seria um músico, sarado, pegador e – o pior de tudo – descansado.

A votação está aberta.

Dependendo do resultado, pode ser que o maridón precise de um sofá para passar a noite.

Candidatos?

#fuénfuénfuén
#donjuanfail
#lógicamasculina

Diálogos com o maridón – parte 9

Maridón, se achando O antropólogo, solta DO NADA, durante o almoço:

– Sabe, Bo, andei pensando e descobri quando as pessoas envelhecem e ficam acabadas: quando elas têm filhos. É o grande divisor de águas, pode reparar.

Silêncio.

Cara de choque.

Indignação.

Maridón, percebendo que me chamou de velha AND acabada:

– Não, não… Mas vc continua linda. Não quis dizer que envelheceu, nem está acabada. Isso só vale para as outras mães, vc não.

Aham. Sei.

Senta lá, Cláudia.

Quem acha que eu poderia ter passado a noite em claro, cuidando de uma micro gata ido dormir sem essa levanta a mão! o/

Aí eu pergunto: joias, roupas, sapatos, viagens ou uma nanogata nova de presente, para compensar o tiro no pé?

Está aberta a votação.

#fuénfuénfuén

#donjuanfail

#lógicamasculina

Diálogos com o maridón – parte 8

Sei que postei um episódio dos “Diálogos com o Maridón” essa semana, mas a verdade é que tenho vários pendentes e resolvi desovar alguns, já que esse é um material que sempre se renova na minha casa.

Outro dia foi aniversário do maridón e eu não sabia o que comprar de presente.

Depois de doze anos juntos e sete casados, não há criatividade que chegue, esgotei todo o meu repertório.

Pensei, pensei, pensei e desisti. Resolvi apelar direto para a fonte:

Eu: – Bo, o que vc quer de presente esse ano? Roupas? Viagem? Perfume? Eletrônicos? Uma noite inteira de sono?

Maridón: – Hummmm… tem uma coisa que eu quero faz um tempão, posso pedir?

Eu: – Pode, vai… O que é?

Maridón: – RASPA MINHAS COSTAS, por favor?

Fuén, fuén, fuén…

E eu pensando que uma pessoa xis ME telefonar, no dia do MEU casamento, para pedir carona até a cerimônia tinha sido a pior proposta indecente da minha vida. Tolinha.

Certas coisas só o casamento faz por vc.

#lógicamasculina

#donjuanfail

#quedeselegante

Diálogos com o maridón – parte 7

Estava feliz e contente em uma festa, quando uma pessoa xis me abordou e disse que eu morreria em 2017. Assim, do nada, sem introdução, nem preparação psicológica (certeza que esse tipo de coisa só acontece comigo. CER-TE-ZA).

Daí que hoje cedo eu e o maridón estávamos combinando nossos roteiros de viagem para os próximos anos, já que sonhar não paga imposto, e lembramos da nossa promessa de repetir a lua de mel, quando fizéssemos dez anos de casados:

Maridón: – Que tal o calendário: 2015 Itália, 2016 Holanda, 2017 França?

Eu: – 2017 França? Será que eu vou morrer em Paris? Imagina que luxo??

Maridón: Hahaha! Não sendo no avião, ESTÁ ÓTIMO!

ESTÁ ÓTIMO, minha gente, ESTÁ ÓTIMO.

Ou seja, não morrendo COM ELE no avião, está bonito, está beleza, ES-TÁ Ó-TI-MO.

Ficar viúvo, tranquilo, só não vale cair o avião e morrer junto também.

Acho que, só de raiva, vou morrer mesmo e deixar dezessete filhos para ele criar sozinho. Oh, wait…

#fuénfuénfuén

#putafaltadesacanagemfeelings

#lógicamasculina

#donjuanfail

Update: Para ninguém dizer que estou mentindo ou exagerando, está aqui a prova do crime:

Bo está ótimo

Diálogos com o maridón – parte 6

As meninas estão doentes e passamos a TERCEIRA noite seguida em claro, cada um cuidando de uma.

Sete da manhã, a Pi finalmente dormiu, maridón foi fazer inalação na Lily e eu levantei para dar mamadeira para a Shae, usando um modelito exclusivo, o moletom do colégio onde estudei há dezesseis anos (cof, cof, cof), bem macio e velhinho, porque ninguém é de ferro nesse clima polar.

Maridón me seguiu até o banheiro, parou atrás de mim no espelho e soltou:

– Engraçado, né? Quando começamos a namorar, vc não quis usar moletom velho na fazenda, para não perder a magia do dia a dia. Agora está aqui, toda DESGRENHADA, sem nenhuma cerimônia e tudo bem. Deve ser amor, né?

Desgrenhada. DES-GRE-NHA-DA.

Ok, eu já deveria estar acostumada, o histórico de elogios dele não é lá muito favorável, mas olha… nem sei o que dizer.

Após uma noite difícil, nada como começar o dia com uma declaração de amor.  Só que ao contrário.

Se eu matar, alguém me defende?

Fuén, fuén, fuén.

#lógicamarculina

#tiropelaculatra

#donjuanfail

Update: Maridón leu o post e protestou: “A palavra foi ESCANGALHADA, não desgrenhada”.  Ah, tá. Alguém telefona para ele e dá um toque, por favor? Tipo, “não mexe, que está piorando”? Obrigada.

Diálogos com o maridón – parte 5

Estava bem no comecinho da gravidez da Pi, poucas semanas, na fase em que ainda não se conta para ninguém, com medo de que as coisas dêem errado.

Fomos a um aniversário com a família toda, eu com cólicas, daquelas chatinhas que dão no início, tentando disfarçar.

Eis que me levantei, senti uma pontada e, instintivamente, coloquei a mão na barriga.  Minha tia, preocupada, perguntou para o maridón:

– O que a Paula tem?

Ele poderia ter dito “cólica”, “indisposição” ou até um simples “não sei, vou verificar”, mas não, soltou, em alto e bom som, no meio de todo mundo:

– Prisão de ventre, tia!

PRISÃO.DE.VENTRE.

Essa foi a melhor resposta na qual ele conseguiu pensar.  Deixar as pessoas achando que, ao invés de gerar um filho, o milagre da vida, etc e tal, eu estava cultivando um monte de cocô.

Digno, bacana, cúmplice e companheiro. Só que não.

Com um marido brother desses, quem precisa de inimigos?

#diaderainhafeelings

#túneldotempo

#passandovergonhadesde2002