Toxoplasmose: a culpa não é do gato! – parte 2

Já contei no blog que a probabilidade de se contrair toxoplasmose pelo contato com gatos domésticos é praticamente nula.  Contudo, percebo que o assunto ainda gera dúvidas pelo número diário de acessos ao post, além das frases utilizadas para pesquisa, tipo: “doação de gato urgente + gravidez + toxoplasmose”.

Como sou brasileira e não desisto nunca, cá estou de volta, com o barrigón da TERCEIRA filha, para mostrar que continuo cercada por TREZE gatos (fora um ou outro que cruza meu caminho por aí) e todos os exames permanecem negativos.

Em uma conta de padeiro, diria que cerca de quinhentos bichanos (além de uma pomba e duas galinhas) passaram de alguma forma por minhas mãos nos últimos anos – desde bebês criados na mamadeira até velhinhos com incontinência – e nunca, nunca, NUNCA me contaminei.

Ou seja, a matemática é bem basilar: se houvesse qualquer chance significativa de contágio, eu certamente estaria nessa estatística.  É impossível “dar sorte” por tantas vezes, por tanto tempo.

Para os céticos de plantão, a prova dos nove está aqui: minhas duas filhas são vegetarianas, saudáveis e felizes, criadas no meio da bicharada desde o dia em que nasceram, sem qualquer intercorrência.  E a terceira chegará em poucas semanas, para seguir os mesmos passos.

Então, antes de alimentar o preconceito, lembre-se de que a informação é sempre o melhor remédio: gatos pretos NÃO dão azar, gatos NÃO são traiçoeiros e a culpa pela toxoplasmose NÃO é dos gatos.  Simples assim.

Não abandone seu bichinho só porque seu mini-humano chegou.  Não ensine desde cedo que desamparar e ser cruel é bacana.

Ensine amor, compaixão, lealdade.  Ensine seu filho a ter o coração no lugar e a respeitar o próximo, independente da espécie.

Quem sabe assim, não formaremos adultos mais conscientes e tornaremos o mundo um pouquinho menos cinza?

If you wanna make the world a better place

Take a look at yourself and then make a change”.

#correntedobem

#aculpanãoédogato

#crescerjuntoétudodebom

ET – Eis o resumo da ópera, para quem ficou com preguiça de clicar no link do post anterior: para se contrair toxoplasmose de um gato, ele precisa estar contaminado, o que por si só já é raro (apenas 1% – UM POR CENTO! – dos bichanos são hospedeiros), você precisa limpar as fezes dele – expostas há mais de 72 horas – com as mãos e depois colocá-las na boca.  Impossível para qualquer criatura que tenha os mínimos hábitos de higiene, certo? 😉 Gravidez e gatos Meninas e bicharada Exames toxoplasmose

22 pensamentos sobre “Toxoplasmose: a culpa não é do gato! – parte 2

  1. Pingback: Toxoplasmose: a culpa não é do gato! | PAULAtinamente

  2. Oi Paula, adorei os posts sobre toxoplasmose! Estou grávida e tenho duas gatas resgatadas. As pessoas realmente vivem perguntando o que eu vou fazer com elas. Ainda bem que meu médico não faz parte deste grupo! Mas, eu tenho uma dúvida. Eu fiz estes dois teste que você postou, porém, ainda não saíram os resultados. Minhas gatas dormem na minha cama e, obviamente, elas usam a caixa de areia e, possivelmente, sobem na cama na sequência e, sei lá, se não pisam no meu travesseiro tb na sequência. Isso apresentaria algum risco?
    Beijos, Virgínia

  3. Olá Paula! Sendo mãe de três meninas e tendo treze gatos vc tem alguma dica especial sobre a adaptação dos bichanos aos bebês? Pergunto pq tenho 4 gatinhos( os gêmeos Neo e Zayon, a princesa Lola e o caçula Benjamin) e sou louca para ser mamãe tmb de um pequeno humano tmb! Mas tenho medo de como meus filhos de quatro patas podem reagir ao bebê. As pessoas falam absurdos, que não conseguirei criar a criança, que os gatos vão machuca-lo e outras tolices, mas sei que eles não iram fazer nada disso, apenas me preocupo em como eles iram receber um novo morador que veio para dividir a atenção da mamãe deles… Se tiver algum post ou puder dar as dicas nos comentários agradeço! Abs Bruna

    • Oi, Bruna!
      Parabéns pela filharada!
      Aqui não tive grandes dificuldades na adaptação, foi mais complicado com apenas dois gatos – uma que criei na mamadeira e tinha muito ciúmes e outro que era muito assustado e se escondia ao ouvir choro de bebê. Os dois casos foram resolvidos com amor, paciência e homeopatia.
      Se quiser, dá uma fuçada nos posts antigos. Tenho infinitas fotos de todo mundo junto e misturado desde o dia em que chegamos da maternidade ❤
      O mais importante é dar MUITO carinho e atenção para a bicharada, para que eles vejam que não foram substituídos e ainda há espaço para eles. 🙂
      Beijo grande!

  4. Eu já tive toxoplasmose e morro de medo de contrair novamente… Não peguei de gato, provavelmente peguei me alimentando ou consumindo água de algum lugar inadequado. Estou grávida e estou tendo contato com
    Uns gatos da minha rua, a mãe teve 5 filhotes e estou ajudando como posso… Mesmo sabendo do risco ser mininmo, ainda assim fico receosa! Mas meu coração não consegue deixar eles ao relento, faço o que posso pelos pequenos 😍

  5. Pingback: Para a Dora (último trimestre!) | PAULAtinamente

  6. Tenho Toxoplasmose desde os 8 anos de idade e hj tenho 27.
    Dxa eu explicar melhor para vcs meninas o Gato pode sim ser o transmissor, isso se ele já estiver contaminado, gatos q vivem na rua e se alimentam d pombos contaminados tem o vírus e pode transmitir sim não só para grávidas como para qlqr outra pessoa.
    Se seu gato é criado em casa não tem o pq ter medo d contrair esta doença.
    Morei em um sítio q as pessoas abandonavam os gatos já doentes lá perto e como tínhamos dó pegavamos para cuidar, eu criança d sítio brincava d terra, já comi terra, já enganei a minha mãe qdo ia comer não lavava a mão, pois era na terra q tds os gatos faziam coco, posso ter contraído a doença aí… + tbm beijava os gatos na boca, ficava agarrada neles o dia inteiro, então posso ter pego d várias formas, lembrando q eram gatos de rua!!!!

  7. olá Paula, estive no medico ontem e fui diagnosticada com toxoplasmose novamente já tive a doença há uns 10 anos atrás e pequei de novo, só que o oftalmo de 10 anos atrás não culpou o gato, já o de ontem só faltou me mandar matar a minha gata, fiquei muito triste com tudo que ele me falou, pois amo minha gata ela dorme comigo e ta sempre no meu colo… é verdade que com uma lambida posso ter contraído a doença? fiquei aliviada quando vi seu blog, me tranquilizou bastante.. obrigado

    • Oi, Açucena! Pode ficar tranquila, arranhões e mordidas não são formas de contaminação. Apenas as fezes do gato poderiam transmitir a doença e, ainda assim, o contágio pelos felinos por si só é bem raro, conforme expliquei no texto. Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s