Feliz 30 meses, Pi! :)

Dois anos e meio.

Meu bebê virou criança.

Virou companheira.

Virou cúmplice.

Virou gente.

Virou gateira.

Virou uma mini-pessoa cheia de gostos e vontades.

Virou e revirou meu estômago a cada febre, a cada susto, a cada choro.

E eu nunca fui tão feliz na vida.

Obrigada, filha, por virar meu coração do avesso.

Te amo!

Mamãe

#gladyoucame

#trintameses

#pirilampa

“Pai e mãe

Ouro de mina

Coração

Desejo e sina

Tudo mais

Pura rotina

Jazz…

Tocarei seu nome

Pra poder

Falar de amor

Minha princesa

Art nouveau

Da natureza

Tudo mais

Pura beleza…”

Montagem Pi - 30 meses

Corujices curtinhas – parte 4

– Pi, adivinha onde a gente vai hoje?

– No aniversário do Arthur. Mas o papai dirige, tá, mamai?

—-

Na porta da escola:

– Como foi seu dia, Piló?

– A Pi bincou na aeia, nanou, papou, comeu maçãzinha, fez dodói no amiguinho, ficou tisti e chorou.

– É, filha? E aí?

– Aí a teacher lavou o rosto da Pi e passou. Mas só depois.

—-

Pi tentando abrir a janela do carro sem sucesso, por causa da trava:

– Ih! Acabou a bateria, mamai!

—-

No restaurante, encarando AND apontando para a moça com cara fechada na mesa ao lado, enquanto repetia, em alto e bom som:

– Olha, mamai! Essa moça tá MUUUUUUUIIIIIITOOOOO brava! Muitooooooo brava! Olha! Olha!

—–

– Filha, vc e a Lily ganharam esses banquinhos lindos de presente! Gostou?

– Gostei. Mas faltou a mesinha, né, mamai?

—-

Na porta do BANHEIRO do parque, entre uma troca de fraldas e outra, olho para o lado e vejo a Pi tomando um suco de caixinha de maçã.  Tirado do lixo.  Pela metade.  No canudinho.

#worstmomever

—-

Dei uma lambida de leve no sorvete da Pi, que estava pingando no chão e ela, com o dedo em riste:

– O seu já acabou, mamai!  Esse é o da Pi agora.  Cada um com o seu.

—-

Pi fazendo força no meio da sala.

– Está fazendo cocô, filha? Quer usar o penico das princesas?

– Agora é tarde, mamai. Já FAZEU.

—-

Enquanto isso, Liló ratonilda, empacou de vez.  Não anda, não quer andar e tem raiva de quem ande.

Focou toda sua energia em tagarelar por aí e repetir tudo que falamos.

Mas COMO não morrer de amor com uma recusa TÃO fofa?

#ohana

#amormaiordomundo

Feliz catorze meses, Cecília! :)

14 meses, Liló!

Catorze meses de um amor infinito, muita alegria, passos curtos (parece que vc sabe que irá para a escolinha assim que andar direito) e matraca solta.

Cada dia é uma palavra nova, pronunciada com a boca cheia, um sorriso de vitória e aqueles olhinhos brilhantes de quem está descobrindo o mundo.

Meu dengo, meu grudinho, minha esfomeada, minha paixão.

Posso viver mil anos, mas nunca saberei agradecer a altura o presente lindo que a vida me deu quando vc chegou.

Obrigada por ser perfeita, ratinha.

Te amo para sempre!

Mamãe

#lilyfuracão

#catorzemesesderatinha

#isntshelovely?

“Olha que coisa mais linda,

mais cheia de graça,

É ela a menina, que vem e que passa,

num doce balanço a caminho do mar…”

Montagem 14 meses Lily

Reencontro :)

Fui visitar a Catarina na internação e fiquei com o coração apertado, quando a encontrei encolhida em um canto, resignada, sem reagir:

Visita Catarina 1

Apesar da equipe ser incrível, super dedicada e amorosa – um verdadeiro privilégio! – é realmente muito difícil apagar catorze anos de sofrimento e abandono, eu sei.

Fiquei sentada no chão, fazendo cafuné, conversando com aquele fiapinho, até que, de repente, Catarina levantou. Se esfregou, pediu carinho, virou a barriga, tentou miar, parecia outra gata.

Não sei explicar o que se passou ali. Não sei se minha voz lembrou a de outra pessoa, se ela entendeu o que estava acontecendo ou se soube que eu seria a família dela de agora em diante.

Mas foi lindo de ser ver e me encheu de esperança.

Catarina vai se recuperar e ter o restinho de vida digno, que tanto merece, tenho certeza.

Depois desse vídeo, alguém ainda duvida?

#correntedobem

#fiapinho

#maktub

Raio Gourmetizador

Os pelos estavam cheios de nós e saiam com facilidade nas mãos, de pura fraqueza.

A pele estava suja, encardida, abarrotada de pulgas.

Os olhos remelentos e o fuuuz banguela escondiam um passado triste, mais cruel do que sequer podemos imaginar.

Mas nada que cuidado, amor e carinho não pudessem resolver.

A cor da água e a carinha tranquila da Catarina falam por si só.

Bastou um banho caprichado, um cafuné durante o soro e uma comida boa para aquele fiapinho de gata se revelar uma lutadora, pronta para recomeçar.

Seguimos na internação, porém com esperanças renovadas, mangas arregaçadas e muita força na peruca.

Lá vamos nós, mais uma vez.

Go, fiapinho! 🙂

“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”.

#correntedobem

#outrasninasvirão

Banho Catarina

Catarina

O olho operado, a ausência de dentes na boca e a castração indicam que Catarina teve dono um dia.

Porém isso não impediu que fosse jogada na rua já bem velhinha, cega e com problemas renais.

O resto do quadro gravíssimo é apenas decorrência natural do abandono: desidratação profunda, febre, infinitas pulgas, provável hemobartolenose e, claro, o medo.

Catarina foi resgatada de um bueiro, sem forças para levantar, nem comer.

Passou três dias sem atendimento veterinário até chegar aqui.

O maridón, vendo meu desespero, autorizou: “traga para casa, vamos cuidar dela”.  Amigas queridas ofereceram ajuda com a conta, que certamente ficará estratosférica.

Já estava com tudo pronto e a internação encaminhada, quando chegou a última novidade: Catarina tem FIV (AIDS), meu calcanhar de Aquiles.

Nem imagino o que me fez abrir o e-mail com o pedido de ajuda hoje cedo, mas agora tenho certeza de que o lugar dela é comigo.  Catarina é meu número, meu ponto fraco, desenhada para mim.

Estava escrito, eu sei.

Só espero que ela também saiba, não desista e lute para ficar.

#resgatedodia

#outrasninasvirão

#correntedobem

#maktub

Montagem Catarina

My precious – parte 2

Minha milagrinha completou quatro meses.

Mal posso acreditar que aquela nanogata órfã, com cem gramas, cordão umbilical, olhinhos fechados, pneumonia, toda bagunçada, molenga, mais para lá do que para cá, sobreviveu e virou esse tufão atentado.

Cada dia é uma novidade: ela já se trancou no armário, já caiu dentro do box e passou a noite ensopada, já sumiu por horas a fio e foi encontrada dormindo no penico, já quebrou vaso, vela, telefone, pote, mamadeira, já ficou presa no bar e derrubou todos os copos de cristal (mas não se cortou, amém!), já se enroscou na grade e ficou piando alto até chegar o socorro, já rasgou um pacote inteiro de papel higiênico, já rolou a escada, já roubou cartela de remédio, já derrubou infinitas garrafas de água na minha cama, etc, etc, etc.

Chocar alguém com dezesseis bichos e dois bebês em casa não é tarefa para qualquer um.  Sagui realmente é um fenômeno.  Em menos de dois minutos, corre-pula-brinca-se-machuca-levanta-corre-pula-brinca-se-machuca em um looping eterno, canso só de assistir.  Nem a Shae aguenta mais tanta energia.

Ao mesmo tempo pede carinho, me olha nos olhos, está sempre por perto, minha sombrinha.  Toma café da manhã no meu colo, vive me dando beijinhos, dorme enroscada nos meus cabelos (às vezes os ataca, é bem verdade) e ronrona alto enquanto se estica no meu pescoço.  Sobe e desce quantas vezes for atrás de mim.  Arranha a porta, chorando magoada, se eu a esqueço do outro lado.  Toma banho comigo, deita no lixo quando estou no banheiro, fica na pia enquanto escovo os dentes.

Lutar lado a lado para viver é algo muito forte, único, especial.  Cria vínculos inexplicáveis.

Sagui não precisa saber falar para eu reconhecer sua gratidão.

E eu não preciso aprender a miar para ser a mãe dela.

Juntas somos a prova de que amor não escolhe espécie.

♥♥♥♥♥♥♥♥

#myprecious

#milagrinha

#correntedobem

#nãotempreço

Montagem Sagui

If I fitz, I sitz