Bodas de Lã

Dizem que com o sétimo ano vem a crise.

Aqui vieram filhos, filhotes de gatos que precisam de mamadeiras, uma festa de adultos e outra de criança, para encerrar bem o final de semana.

Porque nossa vida é assim.

Os dias nunca são iguais, as tardes nunca são calmas, as noites nunca são de sono.  Mas a felicidade está presente em cada pequeno detalhe.

Quando se faz as coisas com amor, só se pode receber amor de volta.

Obrigada por fazer parte da minha vida, por apoiar minhas loucuras, por enxugar minhas lágrimas, por motivar meus sorrisos, por ser meu companheiro e melhor amigo.

Espero passar mais 700 anos ao seu lado.

Te amo para sempre.

“I may not always love you

But long as there are stars above you

You never need to doubt it

I’ll make you so sure about it

God only knows what I’d be without you…”

Bos 7 anos

Família 4

#aboutlastnight

#seteanos

#dozeanos

#timtimparanós

O mundo é bão, Sebastião! :)

Sagui quase virou estrelinha essa noite.

Ficou molinha, cabeça caída, sem reagir.

Passei uma das piores madrugadas da minha vida, lutando ao lado dela e chorando, já sem esperança.

Mas Sagui quer viver. Quer virar gatinha, crescer forte, correr e brincar.

Sagui quer ter uma chance.

E me mostrou abrindo os olhinhos hoje, pela primeira vez.

Aí as noites em claro e as lágrimas ficaram pequenininhas, perderam a importância. Nada se compara à alegria de presenciar um serzinho sendo apresentado ao mundo.

Vive, bebezica, vive.

Estou aqui, com vc.

#correntedobem

#milagrinha

Sagui olho aberto

Sementinha

Eu me desesperei ontem, quando vi que a Sagui pesava apenas 106 gramas, não tinha mamado colostro, estava com ruído no pulmão e não parava de espirrar.

Eu chorei quando soube que as chances eram pequenas e que seria muito difícil reverter um quadro assim.

Eu tive medo de cuidar dela, me senti pequena, fiquei rezando para ter alguém lá em cima, que pudesse olhar por nós e me ajudar.

E fui pega de surpresa ao perceber que a ajuda já estava bem aqui, ao meu lado durante cada mamada, nas conversas com a Sagui e cantando para ela dormir.

Quando se planta uma sementinha com tanto amor, não há como dar errado.

A mágica vai acontecer, tenho certeza.

Obrigada, filha, por me dar força, coragem, encher meu coração de alegria e de esperança de um mundo melhor.

Te amo para sempre.

#correntedobem

#outrasninasvirão

#milagrinha

Sagui

Sagui foi separada da mãe com um dia de vida.

Está com o pulmão chiando, provavelmente por ter aspirado leite que tentaram dar para ela.

As chances já eram mínimas e agora diminuíram.

Mas eu vou tentar.

Se ela tiver que partir, pelo menos que seja quentinha e amada.

E, se não for pedir muito, na próxima vida quero vir sem um coração de pudim.

Quero que quartas-feiras sejam apenas quartas-feiras, não dias de fazer milagre.

Onde eu assino?

#resgatedodia

#outrasninasvirão

#correntedobem

#milagrinha

Sagui

Começo, meio e fim

Cada vez que um temporário chega em casa, tenho uma longa conversa com ele, explico que os tempos de sofrimento, fome, medo e frio ficaram para trás, que ele agora será feliz e sempre terá para onde voltar se tudo der errado de novo (espero que não todos juntos, para evitar o divórcio a fadiga, claro).

Fazer lar temporário não é tarefa fácil, já falhei INÚMERAS vezes, btw. São várias semanas de cuidados intensivos, carinho, comida boa, remédios, vacinas, vermífugo e muito amor, até que eles possam seguir seu caminho.

Para quem tem problemas com o desapego, como eu, esse processo é bastante dolorido, uma verdadeira tortura. Precisa ter muita maturidade para reconhecer que deixá-los partir é a grande prova de amor que poderia lhes dar. E eu não sou lá a rainha da maturidade, prefiro deixar todos embaixo das minhas asas, como legítima descendente de italianos que sou.

Nos últimos cinco meses, dez gatos passaram por aqui e percebi que sempre conto o começo das histórias no blog, mas nunca seu desfecho.

Fora a Penélope, que acabou de chegar e a Nina, que virou estrelinha, deixando um rombo enorme no meu peito e na minha conta bancária, todas as demais missões foram lindamente cumpridas, com finais felizes de dar inveja ao último capítulo da novela das seis.

A família GOT sobreviveu, cresceu forte e saudável, graças à dedicação dos tios FernandoS e da tia Denise, que assumiram parte da turma e me deixaram cuidando apenas da Shae, minha filhota amada.

Todos foram adotados por famílias de comercial de margarina, compensando com juros e correção monetária nossos esforços e noites em claro:

Antes e depois família GOT

O Pierre, também conhecido como o gato mais porcalhudo da Porcalhulândia, ficou uns quinze dias aqui, antes de ir para a casa da tia Dê, voluntária que o resgatou.

Nesse meio tempo, sujou, ronronou, sujou, ronronou, sujou, ronronou em um looping eterno, demarcando território em formas nunca dantes vistas na história desse país. Mas o bicho é tão lindo, fofo e apaixonante, que vc quase agradece pelo privilégio de ser a dona do lavabo que ele emporcalha.

Depois de um longo e tenebroso inverno, descobrimos que ele estava com infecção urinária, a causadora dessa imundice toda. Pierre fez o tratamento, foi castrado e agora finalmente poderá procurar uma família para chamar de sua, sem mais desasseios.

Antes e depois Pierre

Por fim, a Dona Khaleesi, que agora se chama Cindy, ganhou três vezes seguidas na loteria e irá para a casa nova amanhã, em uma adoção dos sonhos, depois de morar um mês no meu lavabo e roubar para sempre o meu coração.

Foram trinta dias de amor por uma das gatas mais lindas, doces e meigas que já passou por aqui. Um mês de conversinhas, miadicos, colo, carinhos no baligo rosa e muito ronron.

Amanhã será o dia mais doído de toda essa jornada de lar temporário, aquele que sempre prefiro adiar. Dia da despedida, de deixá-la partir e de encher a Cantareira, com o rio de lágrimas que irei derramar (de nada, São Paulo).

Amanhã minha princesa guerreira encerrará seu ciclo na Morada dos Ramos e abrirá espaço para tantos outros bichinhos carentes espalhados por aí, precisando apenas de uma chance.

Porém, levará consigo um pedacinho de mim e a certeza de que valeu a pena fazer girar mais uma vez a corrente do bem.

Seja feliz, minha gata borralheira.

Sempre terei abóboras guardadas para vc no meu jardim.

#correntedobem

#outrasninasvirão

Antes e depois Khaleesi

Penélope, muito prazer!

Pessoas normais acordam, tomam banho, café da manhã e saem para trabalhar. Simples, fácil e indolor.

Já eu sou incapaz de lembrar a última vez em que consegui seguir essa rotina.

Hoje, por exemplo, passamos a madrugada em claro com a Lily chorando, a manhã foi um tumulto sem fim (tema para outro post) e então, quando finalmente estava saindo de casa, ultra-mega-blaster atrasada para variar, escutei um miado bem fininho vindo do motor do meu carro.

Sim, tinha uma filhote de gato de uns dois meses presa ali, sem conseguir se soltar.

Porque eu devo ser um para-raios ambulante, um imã para resgates ou muito premiada mesmo, só pode ser isso. Dentre TODOS os carros parados na rua, a bebezica foi escolher justamente o meu. Se isso não é um auto-salvamento, eu realmente não sei o que poderia ser.

Aí toca descer do carro e fazer DE NOVO aquele papelão básico de louca dos bichos, na frente do guarda e dos vizinhos.

Lá fui eu tirar o salto, arregaçar as mangas, a barra da calça, abrir o capô, ajoelhar no chão e tentar pegar a coitadinha, sem nenhum sucesso.

Foram mais de vinte minutos lutando, até que minha auxiliar veio me ajudar e conseguimos puxá-la.

Penélope agora está dentro do meu box, tremendo de medo e ronronando ao mesmo tempo, linda de viver. Ela é uma tricolor mesclada com pelos longos, fofa, bebezica de tudo, deve ter acabado de desmamar.

E eu?

Eu poderia estar matando, poderia estar roubando, poderia até estar trabalhando no horário certo, mas não, preferi me enrolar mais um pouco, salvar uma vidinha no intervalo, perder meu banheiro e me apaixonar perdidamente outra vez.

♥ ♥ ♥

#resgatedodia

#correntedobem

#outrasninasvirão

Penélope