Diálogos com o maridón – parte 5

Estava bem no comecinho da gravidez da Pi, poucas semanas, na fase em que ainda não se conta para ninguém, com medo de que as coisas dêem errado.

Fomos a um aniversário com a família toda, eu com cólicas, daquelas chatinhas que dão no início, tentando disfarçar.

Eis que me levantei, senti uma pontada e, instintivamente, coloquei a mão na barriga.  Minha tia, preocupada, perguntou para o maridón:

– O que a Paula tem?

Ele poderia ter dito “cólica”, “indisposição” ou até um simples “não sei, vou verificar”, mas não, soltou, em alto e bom som, no meio de todo mundo:

– Prisão de ventre, tia!

PRISÃO.DE.VENTRE.

Essa foi a melhor resposta na qual ele conseguiu pensar.  Deixar as pessoas achando que, ao invés de gerar um filho, o milagre da vida, etc e tal, eu estava cultivando um monte de cocô.

Digno, bacana, cúmplice e companheiro. Só que não.

Com um marido brother desses, quem precisa de inimigos?

#diaderainhafeelings

#túneldotempo

#passandovergonhadesde2002

3 pensamentos sobre “Diálogos com o maridón – parte 5

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s