O outro lado do abandono

Eu pensei que a Farofa tivesse sido vítima de abandono há pouco mais de dois meses, em uma gaiola, para eutanásia.

O que eu não imaginava é que ela tivesse sido vítima de outro tipo de abandono, tão cruel quanto: o gradativo, diário, habitual.

Hoje a Farofa fez um procedimento cirúrgico e, ao contrário do que eu pensava, o problema vai muito além da FIV, dos rins, do baço, do fígado ou do medo generalizado.

Farofa sofreu por muitos e muitos anos com a indiferença.

Como já foi dito algumas vezes aqui, ela estava judiada, tinha os dentes podres e um tiro de chumbinho no corpo, situação incompatível com uma gata que tinha dono.

O mais triste é pensar que esse “dono” certamente colocou a cabeça no travesseiro e dormiu tranquilo essa noite, sem nem se lembrar da gatinha que deixou para trás há alguns meses.

Quem não dormiu direito e passou o dia preocupada, com o coração apertado, enquanto a Farofa era operada, fui eu.

Somos nós que recolhemos os farrapinhos, juntamos os cacos e oferecemos um recomeço para esses animais, que chegam tão sofridos. Nós que lutamos para que todos tenham uma segunda chance.

Por isso, é tão difícil aceitar ou entender o abandono, de um jeito ou de outro.  Insistimos tanto em telas e segurança não por chatice ou paranóia, mas sim porque todos os dias vemos o outro lado da história.  Quantas Farofas servindo de mira para tiro ao alvo existem espalhas por aí?

Farofa teve sorte, escapou de um destino triste, aos 45 do segundo tempo.

Porém, mais do que isso, ela escapou de uma vida inteira de negligência e omissão. Aquele fatídico 29 de agosto foi o último abandono que Farofa-fa sofreu na vida.

Agora só sombra, água fresca, barriguinha cheia e sofá para ela.

Palavra de escoteiro 🙂

Imagem

10 pensamentos sobre “O outro lado do abandono

  1. Paula, queria te agradecer por você escrever um blog. Seu amor, assim como o meu, incondicional pelo animais e a maneira como você o transmite, transborda e transforma com certeza o mundo!
    Um abraço apertado meu e dos meus filhos de quatro patas Tody e Bola.

  2. Lindo esse amor, passo por coisas complicadas aqui para cuidar dos gatos que tirei da rua, atualmente sofri um atentando e perdi meus gatos envenenados, ferida que doí
    muito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s