Sanguinho bom

Doação de sangue – seja de humanos ou animais – não é um assunto engraçado, divertido, nem que atraia o interesse de leitores.  Mas é tão, tão importante, que decidi escrever mesmo assim.

Hoje o Sancho foi doar sangue para a Jo, que está mal na UTI (de novo).  Aparentemente, não basta vc ser surda, ter todas as doenças do mundo, sopro no coração, AIDS e câncer.  Vc ainda precisa pegar hemobartonelose e ficar com uma anemia severa.

Enfim, voltando ao tema, sem a doação do Sancho, a Jojo provavelmente não duraria muitas horas.  Porém, o sanguinho forte e jovem do meu pretolino permitiu que a irmã tivesse mais um fôlego.

Hoje a ajuda foi em família, mas aqui o Figo, o Häagen Dazs e o Panqueca já doaram para completos estranhos.  Não vou mentir, dá trabalho, desgasta, perde-se tempo, é chato.

Contudo, qual o preço de salvar uma vida?

Uma vez, levei o Figo para doar sangue a um gatinho, que estava muito doente na UTI.  Na hora de ir embora, os donos agradeceram e perguntaram quanto custava.  Respondi que não era nada e eles, surpresos: “mas vc saiu da sua casa, com o seu gato e passou a tarde aqui a troco de nada?”

Não, não foi a troco de nada, foi para salvar uma vida.  Estender a mão ao próximo pode custar coisa nenhuma para a pessoa e fazer toda a diferença para a outra parte.

E, quem sabe, os próximos não estendem as mãos para terceiros e o mundo não vai ficando melhor?

Doar sangue, leite materno, tempo não é caridade, é um ato de amor.

De nada adianta levantar bandeiras, protestar, fazer manifestações, se as palavras não vierem acompanhadas de atitudes.

Que tal começar fazendo sua parte hoje? 🙂

“Seja a mudança que vc quer ver no mundo” (Dalai Lama).

#correntedobem

Imagem

8 pensamentos sobre “Sanguinho bom

  1. Concordo plenamente,não adianta levantar só bandeiras,mas é que você é uma excelente pessoa,você faz coisas que muita gente só fala e não faz.Parabéns,beijos e o melhor para a Jojo,estou torcendo e orando.
    Ruth

  2. É isso mesmo Paula. Se queremos mudar o mundo, precisamos em primeiro lugar, mudar a lógica dominante nele. Olhar o outro, se colocar no lugar dele, se importar, agir e, principalmente, não julgar. Assim, começa a mudança.

  3. Pingback: Gentileza gera gentileza | PAULAtinamente

  4. Você esta certíssima Paula!
    O meu Pretinho (com acabamento brilhante) não teve muita sorte… Ele também teve hemobartonelose assintomatico, e quando manifestou uma fraqueza com mucosas descoradas, corremos com ele pro VET, mas o idiota ao invés de botar no soro, pedir exame etc. Disse que ele tinha ingerido algo que lhe fez mal e só, era só dar carvão ativado, uma mistura de soro e suplemento alimentar e tudo ficaria bem.. Resultado no fim da tarde como não notamos melhora levamos em outro VET, que ficou aterrorizado com a situação do meu filho lindo, fez de um tudo para tentar salvá-lo, mas aquela altura já não tinha o que fazer.. Não deu tempo de fazer mais nada!
    Não consigo me perdoar por ter aceito o diagnostico vagabundo da veterinária que me atendeu a primeira vez. Se ele tivesse sido colocado no soro e feito exame talvez tivesse se recuperado.

    Mas devemos sempre fazer o bem e ajudar o próximo independente de quem seja. A mudança no mundo deve começar por cada um de nós.

    • Que tristeza, Letícia… Fico chocada com a quantidade de veterinários despreparados, espalhados por aí. É lamentável, para se dizer o mínimo.
      Tomara que seu Pretinho esteja feliz agora, brilhando no céu junto com a minha Jojo 😥

  5. Pingback: Leitinho bom | PAULAtinamente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s