Da arte de ser do contra

Imagina uma grávida.

Aposto que a figura que veio a sua cabeça foi uma gordinha, esfomeada e sonolenta, vestindo moletom.  Procede?

Pois bem, aqui está tudo de ponta cabeça.  No meu caso, gravidez é sinônimo de insônia e os quilos, que deveriam estar vindo, estão todos indo embora (acreditem, nesse momento da vida, isso é um problema).

Quase não enjoei, como carboidrato em TODAS as refeições, mas nesses três meses que passaram, perdi 3 kg e não há meio de recuperá-los.  A médica já chiou, as costelas começaram a aparecer (mas a pancinha de chopp indicando a presença da Lily continua firme e forte <3) e o jeito foi apelar para os suplementos e vitaminas.

Pelo menos meus exames estão todos impecáveis (turma do amendoim, pode relaxar, a perda de peso NÃO tem nada a ver com o fato de eu ser vegetariana).

Porém, o que judia mesmo é a falta de sono.  Todos os dias acordo às quatro da manhã, super agitada, pronta para viver.  E, claro, estou morrendo às oito, quando efetivamente preciso levantar e seguir vivendo (não quero nem pensar como será no final, naquele calorzão delícia – #not – de dezembro!).

Aí me arrasto o dia todo SEM CAFÉ (cafeína é vetada na gestação), chego em casa exausta, querendo apenas minha amada cama e o ciclo recomeça…

Vizinhos sem noção, que dão baladas infinitas três, quatro vezes por semana, não ajudam.  Ter 15 filhos também não, sempre algum se manifesta, precisando de mim.

Esses dias, li que a insônia pode ser consequência da bandida da progesterona (sempre ela, a vilã desse blog!), mas o engraçado é que TODAS as grávidas que conheço morrem de sono.  Claro que eu tinha que ser a única premiada, do contra.

O pior é estar com aquele bom humor de quem não dormiu e as pessoas sacarem conselhos bacanas do tipo: come bastante e TENTA RELAXAR. Ah, vá! Sejura?

O jeito é aguentar firme e seguir em frente, zumbizando por aí e repetindo o mantra “faltam apenas seis meses”, “faltam apenas seis meses”.  And counting….

Ps: Post escrito às 5:40 da matina, entre um afago na Jojo e outro. Por isso, pede-se tolerância com eventuais erros gramaticais e paciência com os níveis de acidez, um pouco acima do esperado.

7 pensamentos sobre “Da arte de ser do contra

  1. #tamojunto, Paulinha!
    Passo o dia inteiro num sono eterno, sem paciência com nada. O Lilo me desliga todo dia por volta das 22h e, das 2h às 4h, é o turno do Candy Crush, pq até os gatos estão dormindo, só eu estou acordada, pronta pra um dia de trabalho (só por duas horas).
    Foi assim no primeiro trimestre e começou de novo no terceiro. Li essa da progesterona essa semana também… Força, pq tudo passa no segundo trimestre! 😉
    Beijo pra família toda!

    • Lilo! ❤ ❤ ❤
      Na gravidez da Pi eu não dormi nos dois primeiros trimestres e capotei no último (do contra). Na verdade, para ser exata, capotei no sétimo mês, porque no oitavo resgatei a Paçoca, tinha que amamentá-la de 3 em 3 horas e, em seguida, chegou a Pi, de 36 semanas. Ou seja… Animador, não?
      Beijos em todos aí! Saudades de vcs!

  2. Paula, na minha primeira gravidez eu não engordei nem 6kg e nos primeiros meses perdi 4kg. já na segunda, aff… eu engordei 18kg (tive que tomar progesterona a gravidez toda por causa de uma complicação) e, apesar de já ter passado 6 meses, ainda só perdi 10kg.
    cada gravidez é diferente, agora insonia nos primeiros meses nunca tinha visto… só posso dizer que vc foi “premiada” mesmo, hahaha. bjao e continua levando no bom humor que passa rapidinho.

  3. Pingback: Conjuntivite, múltiplos fóruns e pombas barbeiras | PAULAtinamente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s